segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Passageiros vão saber horários dos ônibus pelo celular

Em breve, os dois milhões de usuários de transporte coletivo da Região Metropolitana do Recife vão saber exatamente qual o tempo de espera até a chegada do seu ônibus na parada. Esse é um dos benefícios do Sistema de Monitoramento via GPS (Sistema de Posicionamento Global), que o Governo de Pernambuco lançou nesta terça-feira (25), em evento no Palácio do Campo das Princesas.

Graças ao GPS instalado nos coletivos, o passageiro terá acesso direto às informações sobre suas linhas via SMS: basta enviar um torpedo informando o código da parada em que se encontra e o número da linha que pretende pegar para receber, em até 10 segundos, os horários de chegada dos próximos três ônibus do seu itinerário.

O governador Eduardo Campos assinou a Ordem de Serviço para a implantação da tecnologia, orçada em R$ 20 milhões. O sistema será coordenado pelas empresas pernambucanas Cittati, Midiavox e Cerpap e funcionou perfeitamente durante a demonstração. Cada mensagem deve custar cerca de R$ 0,30. Em breve será lançado também um portal na Internet e um portal de voz para o acesso dos usuários.

“Nossa previsão é de ter tudo funcionando em março”, disse o governador. Eduardo explicou ainda que o novo sistema dará mais conforto e segurança ao usuário, ao evitar que ele fique muito tempo exposto na parada de ônibus. “Além disso, dá para você se programar, avisar no trabalho ou em casa o tempo exato em que você vai chegar. Será um salto de qualidade para o sistema como um todo”, destacou.

O uso dos aparelhos de GPS também vai possibilitar ao Grande Recife Consórcio Metropolitano de Transporte monitorar o comportamento de toda a frota através de um Centro de Controle e Operações (CCO). Na tela do computador, será possível ver onde está cada um dos três mil ônibus do sistema, se ele está atrasado, se possui acesso para pessoas com deficiência e outros detalhes. Já os terminais de integração vão ganhar painéis de LCD (parecidos com os instalados em aeroportos) para mostrar em tempo real os horários de embarque e desembarque de cada uma das linhas.

Para ajudar no monitoramento, o governador Eduardo Campos instituiu um comitê de busca para selecionar três gerentes de terminais e 36 gestores. O intuito é substituir os funcionários terceirizados que hoje fazem o serviço e reforçar o gerenciamento dos terminais de integração do SEI (Sistema Estrutural Integrado), que foi dividido em três gerências: Sul, Norte e Oeste.

“Essa gestão é muito importante para medir os indicadores de desempenho e obter os resultados de cada terminal, que hoje é feita por pessoas sem o perfil adequado”, afirmou o secretário das Cidades, Danilo Cabral. O Comitê de Busca será formado por representantes das Universidades Federal (UFPE) e de Pernambuco (UPE), e por técnicos do Grande Recife Consórcio de Transporte. “É um comitê independente, que fará a seleção pública por mérito”, disse.


Governo do Estado e Urbana-PE

sábado, 29 de outubro de 2011

10 Anos Sem Trólebus - Parte III


Chegamos à última postagem da série "10 Anos Sem Trólebus". Aqui, veremos como ficou a estrutura do sistema nos anos 90 até o seu fim.

Anos 90
Marmon-Herrington 218. Créditos: Tramz.com/Acervo

Em 1991, é criada uma nova linha de trólebus rumo a Olinda, com parte do trajeto feito em corredor exclusivo. Em 1994, com a inauguração do Terminal Integrado da PE-15, a linha 900 - PE-15 (Parador) é a primeira do sistema elétrico a entrar para o SEI (Sistema Estrutural Integrado). Ainda nesse ano, os 12 trólebus Ciferal/Scania/Tectronic foram desativados. Com isso, alguns dos Marmon-Herrington são reprefixados, recebendo números na série 2XX, 5XX e 9XX. Entre 1995 e 1996, a linha 641 - Av. Norte/Macaxeira também entra para o SEI, com a inauguração do TI da Macaxeira.

A partir daí, começa o declínio do sistema de trólebus, ao mesmo tempo que sua permissionária, a CTU, também começa a cair. Em 2000, ela é privatizada e se transforma na CRT (Cidade do Recife Transportes).

Anos 2000 e fim

A CRT, numa tentativa de manter o sistema de trólebus na ativa, traz 18 ônibus modelos Vilares ano 1982, vindos de Ribeirão Preto, cujo sistema foi desativado em 1999. Contudo, apenas 10 entram em operação. Ainda nesse ano, a empresa pinta sete trólebus Marmon-Herrington no padrão SEI Radial.

Trólebus Villares ex-Ribeirão Preto 957 e 959. Créditos: Sérgio Martire/Tramz.com

 Em abril de 2001, a CRT encerra as operações das linhas 434 - Caxangá/Várzea e 641 - Av. Norte/Macaxeira.  Com isso, a 900 - PE-15 (Parador) se mantém como a única a operar com os elétricos.


Dupla de Marmon-Herrington na linha 641, poucos dias antes de saírem de circulação. Créditos: Sérgio Martire/Tramz.com

Até que, no dia 24 de setembro de 2001, os últimos trólebus operam no trecho Recife-Olinda. No dia seguinte, não saem mais da garagem. Após 41 anos, a história dos elétricos tem seu ponto final dado no Recife.

Mapa do sistema de trólebus em 2001. Créditos: Tramz.com

Na época, porém, a CRT anuncia que iria investir em trólebus novos. Houve até o registro de pedidos à Busscar, contudo esses carros nunca foram vistos. Ao contrário, chegam ao Recife 30 novos veículos de carroceria Urbanuss Pluss, sob o chassi Mercedes-Benz O-400 U, ou seja, a diesel.

Os trólebus ex-Ribeirão Preto e os Marmon-Herrington, os últimos a operarem no sistema, foram mantidos na antiga garagem da CTU até 2006, quando foram desmontados e vendidos como sucata.

Veja agora como ficaram as três últimas linhas operadas por trólebus:

434 - Caxangá/Várzea
Passou a operar com ônibus a diesel em abril de 2001, conforme já dito. Em 2008, com a inclusão do terminal da Caxangá no SEI, a linha é extinta e dá lugar à 437 - Caxangá (Conde da Boa Vista).

641 - Av. Norte/Macaxeira
Passou a rodar com ônibus a diesel e motor traseiro em 2001. Contudo, no ano seguinte, as outras empresas operantes no corredor da Zona Norte entram com processo na justiça acusando a CRT de concorrência desleal. A empresa perde e uma liminar a obriga a tirar os veículos da linha. Eles até foram testados em outras rotas, mas após os resultados não serem bons, são vendidos em 2003.

Já a 641 se torna a linha 645 e passa a ser operada de maneira conjunta por Globo e Pedrosa.

900 - PE-15 (Parador)
A Itamaracá assume a operação da linha com ônibus a diesel. Em meados de 2003 é extinta, tendo sua operação integrada com a 915.

A seguir, um vídeo de autoria de Allen Morrison, que mostra vários trólebus do Recife:

Guto de Castro

Itamaracá Transportes é considerada uma das 5 melhores empresas de transporte coletivo do Brasil

Empresa pernambucana ganhou um Certificado de Qualidade da ANTP



A cada dois anos, a ANTP (Agência Nacional de Transportes Públicos), realiza o Prêmio ANTP de Qualidade, que premia as 5 melhores empresas de transporte público do país. São avaliados critérios como eficiência e gerenciamento, viabilidade econômica, segurança e ambiente de trabalho, instalações da garagem, adequação quanto a evolução tecnológica operacional e no atendimento ao cliente, relacionamento com a comunidade e respeito aos aspectos ambientais. Além disso, também são levadas em conta ações sociais, como integração da comunidade e incentivo à educação.

A premiação foi realizada no último dia 19, durante o 18° Congresso de Transporte e Trânsito, no Rio de Janeiro. Pernambuco recebeu uma grata surpresa: a Itamaracá Transportes ficou entre as 5 melhores empresas de ônibus do país.

O Nordeste ainda marcou presença com outra empresa na premiação: a Viação Fortaleza, da capital cearense. As outras três premiadas foram da Região Sul: Expresso Medianeira e Trensurb (Rio Grande do Sul) e Viação Nobel, do Paraná.

Sobre a Itamaracá Transportes

Créditos: Guto de Castro/Acervo


Com 53 anos de história, a Itamaracá é uma das empresas mais atuantes no transporte público recifense. Com uma frota de 266 veículos e idade média de 3 anos, a empresa conta ainda com a maior frota de ônibus articulados do Nordeste, totalizando 50 carros do tipo, popularmente conhecido como "Gonzagão".

Oito municípios são atendidos pela Itamaracá na Zona Norte da Região Metropolitana do Recife, contando ao todo com 41 linhas, sendo 35 integradas ao SEI (Sistema Estrutural Integrado).

Com informações do Ônibus Brasil

Justiça nega proposta da Caio para comprar a Busscar

Para o poder judiciário, parque fabril e terreno devem ser leiloados

Créditos: Adamo Bazani/Ônibus Brasil


A esperança de trabalhadores quanto ao final imediato da situação que enfrentam por causa da crise da encarroçadora Busscar não deve ser concretizada por uma negociação direta para a compra da fabricante de carrocerias de Joinville.

A Quarta vara de Justiça de Trabalho de Joinville, em Santa Catarina, negou proposta da Caio, encarroçadora de Botucatu, São Paulo, que queria arrematar o parque fabril (máquinas, equipamentos, infraestrutura, matéria-prima, etc) e o imóvel da empresa de 331,7 mil empregos.

A Caio havia oferecido em 23 de setembro de 2011, R$ 40 milhões por este patrimônio, o que não incluía a marca. A Justiça analisou o valor e a proposta e decidiu que parque fabril e imóvel devem ser arrematados em leilão.

A Caio não se pronunciou ainda sobre a posição da Justiça. Apesar de ter a proposta negada, a empresa pode participar de eventual leilão, segundo o poder judiciário. Inicialmente, levantamento feito com apoio do Sindicato dos Mecânicos de Joinville, mostrava que parque fabril e imóvel valeriam R$ 98 milhões. Mas o presidente da entidade, João Bruggmann, disse que o valor poderia ser revisto, já que muitas máquinas se depreciaram com o tempo.

A Busscar, empresa fundada pela família Nielson em 17 de setembro de 1946, como fabricante de móveis e esquadrias de madeira, chegou a ser uma das maiores produtoras de ônibus do País, além de exportar diversos produtos. Ela disputava pela liderança do segmento de rodoviários com a Marcopolo, e pela de urbanos com a Caio.

Em 2002 – 2003 enfrentou sua primeira crise. A direção da empresa atribuiu a crise às variações cambiais que prejudicaram negócios para o exterior. A empresa na ocasião chegou a receber diversos empréstimos, inclusive do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
Apesar de voltar a produzir, a companhia, segundo analistas, não se manteve firme e sentiu o abalo de restrição de crédito que a economia global sentiu em 2008.

Dependendo de empréstimos que foram reduzidos e com administração considerada frágil, a empresa começou a atrasar salários. Na ocasião, a Busscar tinha cerca de 5 mil funcionários. Hoje conta com menos de mil, todos estão com 19 meses de salários atrasados e dois pagamentos referentes ao 13º salário e outros direitos. A empresa está produzindo não mais de 08 unidades por mês, número bem abaixo de sua capacidade.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Ônibus Brasil

Pontualidade na viagem depende também do passageiro

Primeiramente, é importante classificar se a viagem é ponto a ponto, quando o ônibus sai da garagem direto para a rodoviária de origem e daí para a estrada ou se é uma rota atendida “em trânsito”, quando o ônibus já vem de outra cidade e para em um ponto entre a origem e o destino para embarque e desembarque. Nas viagens ponto a ponto, o ônibus sai cedo da garagem e chega com antecedência para o embarque.
 
Quando o trecho não é ponto a ponto, existe no bilhete a informação que o horário de saída é “em trânsito”, ou seja, que depende do horário de chegada do ônibus no ponto de embarque. A pontualidade desse tipo de viagem está relacionada a vários fatores, entre eles, as condições de trânsito e de qualidade das estradas que a rota tem.
Créditos: Thiago Pessoa/Ônibus Paraíba
Dicas para evitar atrasos em viagens:

• Chegue com antecedência para embarque;
• Cheque a documentação e mantenha junto à passagem;
• Confira com atenção sua data de embarque, hora e poltrona;

• Nas paradas, fique atento ao seu ônibus e motorista.
• Procure a plataforma de embarque e fique atento à chegada do ônibus;
• Decida com antecedência o que vai na bagagem de mão e o que será despachado, para não ter que trocar itens de bagagens na hora do embarque.
 
Guanabara e Ônibus Paraíba

Brasil já investiu mais de US$ 5 bilhões em corredores de ônibus e infraestrutura

Valores se referem a obras financiadas pelo governo brasileiro nos países latino americanos

Créditos: Ônibus Brasil/Acervo


Desde 2003, o Brasil financiou US$ 5,3 bilhões em obras como corredores de ônibus, hidrelétricas, portos e estradas pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
Os dados são do próprio banco criado para incentivar o crescimento do País.

Mas você que anda de ônibus os dias, lotados e que não recebem a menor prioridade no espaço urbano, apesar de transportarem muito mais pessoas que os carros de passeio e ocupando área menor, poder se perguntar. Mas onde está este dinheiro? Onde está o corredor para que o ônibus onde estou possa fazer uma viagem mais rápida, com menos custo e mais confortável?

Pergunta semelhante pode ser feita, por exemplo, pelo cidadão que utiliza estradas esburacadas, mal sinalizadas e que também não deixam de ser o motivo de a passagem de ônibus rodoviário não ser menor. Afinal, o custo de manutenção mais elevado por causa de estradas mal conservadas influencia diretamente no valor das passagens de ônibus.

Pois é, você passageiro, motorista, leitor e eleitor, não vai ver mesmo os benefícios diretos deste dinheiro. Pelo menos não por aqui. É que todo esse recurso foi aplicado pelo governo brasileiro em forma de empréstimos, alguns mais camaradas que para municípios, para os países da América Latina.
É a política da boa vizinha. Mas qual o custo e o benefício disso?
Gratidão que não é.

De acordo com o jornal Dia Dia, os vizinhos que recebem ajuda brasileira em problemas que o país carece de investimento, ainda criticam quando o BNDES não libera mais dinheiro e chegam chamar a postura do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social de Imperialismo Brasileiro.
E muitas vezes, as obras financiadas pelo dinheiro dos brasileiros esbarram em problemas locais e os recursos ficam com a aplicação incerta. Foi o caso recente da suspensão da construção da estrada de Villa Tunari, na Bolívia, que foi bancada diretamente pelo BNDES.

Há menos de dois meses, o ministro de Setores Estratégicos do Equador, Jorge Glass, veio ao Brasil pedir do BNDES US$ 30 bilhões para obras de infraestrutura em seu país. O mesmo Jorge Glass que em 2008, disse que o BNDES tinha “vícios de ilegalidade”. Na ocasião, o presidente do Equador, Rafael Correa, questionou o BNDES na Corte Internacional de Comércio que exigia o pagamento de um empréstimo de US$ 243 milhões para a construção da Usina de San Francisco.

Em 2006, Evo Morales, na Bolívia decidiu suspender o contrato que o país tinha com a Petrobrás e nacionalizar um patrimônio que de fato foi feito com dinheiro brasileiro. A crise só não ficou pior por conta de muitas negociações.

FINS ELEITOREIROS

Não são apenas os governos locais que gostam de fazer festa e promessa com o dinheiro do povo brasileiro em época de eleições. Em 2008, na corrida presidencial pelo Paraguai, Fernando Lugo, prometeu que o Brasil pagaria mais pela energia paraguaia de Itaipu e se caso os brasileiros se recusassem a bancar o aumento, venderia a parte do Paraguai para Argentina, Chile ou outros interessados.

Há três meses o caso teve solução. Para o Paraguai, é claro, já que o Brasil acabou aceitando, pelo Congresso Nacional, pagar o reajuste pelo excedente da energia paraguaia. Mesmo assim, Lugo ainda continua com as ameaças de vendê-la para outros países da América Latina.

De acordo com a reportagem, desde a gestão de Lula, o Brasil tem sido conivente e condescendente com a postura dos vizinhos: “ Desde o governo Lula, no entanto, a visão da diplomacia brasileira é de ser condescendente com os arroubos dos vizinhos, especialmente em épocas eleitorais. O Itamaraty sabe que, envolvidos em disputas locais, presidentes e candidatos tendem a usar o vizinho rico como saco de pancadas.

No entanto, segundo disse ao Estado um diplomata brasileiro, a enorme diferença econômica entre o Brasil e os demais países da região justifica a boa vontade de Brasília – desde que não passe de alguns limites, como foi o caso do Equador.

O embaixador equatoriano no Brasil, Horácio Sevilla Borja, reconhece que a crise não foi boa para seu governo. “Foram anos desperdiçados”, disse. “Nós não estávamos satisfeitos com esse afastamento. Estamos muito felizes com o fato de a Câmara de Comércio Exterior ter aprovado a retomada de operações.” Com isso, o governo de Correa já conta com dinheiro brasileiro para mais quatro obras até o fim deste ano e pelo menos três para o ano que vem. ”

E NÓS?

Enquanto mais de US$ 5 bilhões garantem mais transporte, corredores de ônibus e energia para nossos vizinhos, conseguir financiamento para as mesmas obras no Brasil não é tarefa fácil. Não é segredo para ninguém que os estados e municípios vivem anos de atrasos quando o assunto é mobilidade, transportes. Uma cidade como São Paulo tem pouco mais de 70 quilômetros de metrô. Corredores de ônibus, tipo BRT (Bus Rapid Transit), segregados que oferecem velocidade ao sistema e conforto ao passageiro são anseios da população, como revelam pesquisas do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), da ONG Rede Nossa São Paulo e do Mobilize.

São anseios porque os corredores ainda estão em número insuficientes frente ao crescimento populacional e das necessidades de deslocamentos em grandes cidades, como São Paulo. As médias e pequenas também sofrem pela falta de estrutura e oferta de transportes modernos e ágeis.
Para a Mobilidade no Brasil entrar na Ordem do Dia foi necessário a Fifa escolher o país como sede da Copa do Mundo de 2014 e o Comitê Olímpico Internacional selecionar o Rio de Janeiro como palco dos jogos de 2016.

Surgiu então o PAC da Mobilidade. São R$ 18 bilhões para as cidades sede e municípios de regiões metropolitanas que possuam cada um mais de 700 mil habitantes. Um avanço, mas uma medida incompleta que não leva em conta os aspectos regionais. Exemplo do ABC Paulista. Na região, apenas São Bernardo do Campo tem mais de 700 mil habitantes e só ele vai receber os financiamentos. Ocorre que o ABC é extremamente ligado. Assim, não basta fazer obras de transportes em São Bernardo do Campo sem pensar em Santo André, Diadema, São Caetano do Sul, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

O fluxo de pessoas entre os municípios é muito grande sendo o transporte intermunicipal tão importante quanto o local. No PAC 2, o governo federal promete mais R$ 24 bilhões para a Mobilidade. Ah se não fosse a Copa hein? Com certeza o Metrô continuaria com suas tímidas malhas nas cidades onde ele existe e os ônibus seriam ainda veículos antigos e quadradões (bem longe dos modelos Viale BRT ou Mega BRT) sem receber prioridade no meio do trânsito de milhares de carros novos que entram nas ruas por dia.

È certo que o brasileiro precisa de mobilidade independentemente de haver um mundial de futebol. Mas a oportunidade não é das piores. A pergunta é: e depois da Copa e das Olimpíadas, tudo vai parar como antes? Quanto aos nossos vizinhos de continente, é claro que um bom relacionamento comercial é importante e financiar o desenvolvimento do país próximo é pensar numa necessária integração regional.

Mas antes, com o dinheiro brasileiro, deve ser dada prioridade às necessidades do povo brasileiro. E mais uma coisa: nossos vizinhos poderiam ser um pouquinho mais agradecidos.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Ônibus Brasil

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Grande Recife reforça frota para o Clássico dos Clássicos


Os torcedores que desejarem ir ao estádio dos Aflitos para assistir ao jogo entre Náutico x Sport, neste sábado (29/10), às 15h20, contarão com um esquema especial montado pelo Grande Recife Consórcio de Transporte. A partida, válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, terá quatro ônibus extras no Terminal Integrado da Macaxeira e na Praça do Entroncamento.

Antes do início do jogo, a partir das 13h20, os quatro coletivos estarão reservados no TI da Macaxeira especialmente para a partida. Na volta para casa, os mesmos quatro veículos estarão estacionados na Praça do Entroncamento, a partir das 16h30. Nas duas situações, os veículos ficarão à disposição dos usuários para agir nas linhas com maior demanda de usuários.

Além dos quatro ônibus estocados, os torcedores podem utilizar qualquer uma das 43 linhas que trafegam na Rua 48 e na Avenida Conselheiro Rosa e Silva e param próximas ao estádio (lista abaixo).

Para obterem mais informações sobre os itinerários e a programação, dentre outros serviços, os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente através do número 0800 081 0158, ou acessar o site www.granderecife.pe.gov.br.

Lista do esquema de estocagem – Total de 04 veículos
Ida ao jogo

Terminal Integrado da Macaxeira – 04 ônibus
Total – 04 veículos

Volta para casa

Praça do Entroncamento – 04 coletivos
Total – 04 veículos

Lista das linhas que atendem ao entorno dos Aflitos
Avenida Conselheiro Rosa e Silva:

511-Alto do Mandú
710-Beberibe/Derby
531-Casa Amarela (Rosa e Silva)
513-Córrego da Areia
718-Córrego do Euclides/Derby
522-Dois Irmãos (Rui Barbosa)
640-Guabiraba/Derby
520-Macaxeira/Parnamirim
514-Nova Descoberta (Córrego do Joaquim)
510-Nova Descoberta/Derby
524-Sítio dos Pintos (Dois Irmãos)
630-Vasco da Gama/Derby

Rua 48:

460-Camaragibe (Príncipe)
621-Alto Treze de Maio
623-Vasco da Gama (João de Barros)
624-Brejo
642-Guabiraba (Córrego do Jenipapo)
644-Largo do Maracanã
711-Alto do Pascoal
712-Alto Santa Terezinha
713-Bomba do Hemetério
721-Água Fria
723-Cajueiro
724-Chão de Estrelas
726-Alto Santa Terezinha (Conde da Boa Vista)
731-Beberibe (Espinheiro)
741-Dois Unidos
743-Alto José Bonifácio (João de Barros)
746-Alto do Capitão
760-Dois Unidos/Derby
780-Alto Santa Terezinha/Derby
810-Santa Casa/Encruzilhada
811-Campo Grande (Term. Sítio Novo)
821-Jardim Brasil I (Estrada de Belém)
823-Jardim Brasil II (Estrada de Belém)
830-Caixa D´Água/Derby
831-Aguazinha
840-Alto da Bondade/Joana Bezerra
842-Águas Compridas
850-Aguazinha/Joana Bezerra
852-Caixa D’água
861-Santa Casa/Joana Bezerra
972-Bultrins
GRCT

Grande Recife disponibiliza frota e viagens para o concurso do IBGE



Para os usuários que irão participar do concurso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), que será realizado neste domingo (31/10), a partir do meio-dia, em diversas escolas, universidades e faculdades na Região Metropolitana do Recife, o Grande Recife Consórcio de Transporte disponibiliza 11 linhas e 851 viagens para atender o principal local de prova que é a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Entre as 11 linhas que atendem ao Centro de Convenções, sete trafegam apenas pela área externa da UFPE, na Av. Acadêmico Hélio Ramos e BR-101, duas fazem viagens apenas na área interna do Campus, pela Av. dos Reitores e outras duas passam pelas áreas interna e externa.

Todavia, caso o usuário for realizar o exame em qualquer outro local e quiser se informar sobre linhas, itinerários e paradas, ele pode entrar em contato com a com a Central de Atendimento ao Cliente, pelo telefone 0800 081 0158, funcionando diariamente das 07 às 19, ou acessar o site www.granderecife.pe.gov.br.

Detalhamento das linhas que atendem ao Centro de Convenções, no Campus da UFPE

Linhas que trafegam pela Área Externa (BR-101 ou Av. Acadêmico Hélio Ramos):
020-Candeias/Dois Irmãos
040-CDU/Boa Viagem/Caxangá
202-Barro/Macaxeira (Várzea)
207-Barro/Macaxeira (BR-101)
302-Curado II/Caxangá
432-CDU/Várzea
440-CDU/Caxangá/Boa Viagem

Linhas que trafegam pela Área Interna (Av. dos Reitores):
060-Shopping/CDU
303-Curado II (BR-232)

Linhas que trafegam pela Área Externa (BR-101 ou Av. Acadêmico Hélio Ramos) e pela Área Interna (Av. dos Reitores):
522-Dois Irmãos (Rui Barbosa)
920-Rio Doce/CDU

Onde pegar meu ônibus?
1)Casa do Estudante
020-Candeias/Dois Irmãos
040-CDU/Boa Viagem/Caxangá
202-Barro/Macaxeira (Várzea)
207-Barro/Macaxeira (BR-101)
302-Curado II/Caxangá
440-CDU/Caxangá/Boa Viagem

2)Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH)
020-Candeias/Dois Irmãos
040-CDU/Boa Viagem/Caxangá
202-Barro/Macaxeira (Várzea)
302-Curado II/Caxangá
432-CDU/Várzea
440-CDU/Caxangá/Boa Viagem
522-Dois Irmãos (Rui Barbosa)
920-Rio Doce/CDU


3)Biblioteca Central
060-Shopping/CDU
303-Curado II (BR-232)
920-Rio Doce/CDU


4)Gerência Regional de Educação (GERE)
020-Candeias/Dois Irmãos
202-Barro/Macaxeira (Várzea)
522-Dois Irmãos (Rui Barbosa)
GRCT

Consórcio reforça frota para as praias



Quem gosta de passar o final de semana nas praias do norte da Região Metropolitana do Recife vai poder contar com uma programação reforçada feita pelo Grande Recife Consórcio de Transporte para este final de semana (29 e 30/10). Ao todo, 61 ônibus realizarão 581 viagens, além de dois coletivos extras estacionados no Terminal Integrado de Igarassu.

No sábado (29), a linha 968-Ilha de Itamaracá/Igarassu irá operar com dois ônibus extras, realizando 14 viagens a mais que em sábados comuns. Ao todo, serão oito veículos e 72 viagens. Já para o domingo (30), dia de maior demanda para o litoral, as linhas 905-Igarassu/Paulista, 944-Loteamento Conceição/Paulista, 946-Igarassu (BR-101), 960-Maria Farinha/Casa Caiada, 990-Pau Amarelo/Varadouro, 964-Igarassu/Macaxeira e 968-Ilha de Itamaracá/Igarassu, juntas, totalizarão 13 ônibus a mais, que realizarão 122 atendimentos extras. Assim, 61 coletivos estarão em operação para realizar 581 viagens nos dois dias.

Além disso, as linhas 964-Igarassu/Macaxeira e 968-Ilha de Itamaracá/Igarassu terão substituições de todos os veículos que realizam o transporte, passando de alongados para articulados, os quais são maiores e transportam até 120 pessoas.

Reforço – No domingo, das 8h até às 20h, dois ônibus estarão reservados no Terminal Integrado de Igarassu para atuar nas linhas que apresentarem maior demanda de usuários.

Para outras informações sobre o itinerário das linhas, o usuário pode ligar para a Central de Atendimento ao Cliente, pelo telefone 0800 081 0158, ou acessar site www.granderecife.pe.gov.br.
GRCT

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Governo anuncia implantação do GPS nos ônibus e contratação de servidores para os terminais


Créditos: Guto de Castro/Acervo


“Ser o legado da Copa do Mundo”. Foi assim que o secretário das Cidades, Danilo Cabral, atribuiu na tarde de ontem (25/10), no Palácio do Campo das Princesas, os avanços promovidos pelo governo do Estado no setor de transporte público de passageiros da Região Metropolitana do Recife. Junto com o governador, Eduardo Campos, e o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Nelson Menezes, o secretário das Cidades assinou as ordens de serviços para as implantações da Central de Controle de Operações (CCO), através de GPS, e a contratação de 36 gestores de terminais integrados e três gerentes gerais de transporte.

Com a implantação da CCO, que será instalada na sede do Consórcio, os técnicos do órgão acompanharão a operação de todas as linhas com computadores e painéis de LCD. A tecnologia será expandida para os corredores e terminais integrados da Região Metropolitana do Recife. O novo sistema de transporte foi licitado no valor de R$ 20 milhões e será implantado por um Consórcio de empresas pernambucanas com a Cittati, Midiavox e a Cercap.

Os passageiros também terão acesso a um Portal de Voz e a um site na internet que será acessado por smartphones. Neste sistema, a população receberá informações sobre as linhas e os percursos. Onde ele poderá colocar o ponto inicial e o final e serão ofertados quais coletivos podem ser pegos por ele. Além destas melhorias, os usuários também poderão ter acesso por torpedos em seus celulares, sobre o tempo de espera na parada.

Para o governador Eduardo Campos, a tecnologia vai tranquilizar a operação nos terminais e nas paradas. “A população saberá o tempo no qual vai esperar na fila, a hora que será atendida, e assim, alivia o trabalho dos nossos fiscais e ajuda a construir o sistema de transporte eficiente”, disse.

O secretário das Cidades, Danilo Cabral, enumera os progressos no Sistema de Transporte Público de Passageiros (STPP). “Estamos respondendo aos problemas estruturais com a implantação de corredores, com a construção de 100 km de vias exclusivas para ônibus até 2014, a reforma dos terminais e a construção de 10 novos equipamentos até 2012. Hoje também estamos anunciando o início do monitoramento via GPS, a contratação de novos servidores e o recebimento de informações, pelos usuários, via internet e celular”, enfatizou o secretário.

Para o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Nelson Menezes, a população pede imediatismo nas mudanças. “Até o final de março de próximo ano, com a implantação total do sistema de monitoramento da frota, teremos melhorado qualitativamente o controle operacional e qualidade do serviço prestado. Estamos melhorando a gestão dos terminais com a contratação dos funcionários do Consórcio escolhidos por seleção técnica”, falou o presidente.

Gestão de Terminais – O governo do Estado vai reforçar o gerenciamento dos Terminais de Integração do Sistema Estrutural Integral(SEI) com a criação de 36 vagas para cargo de gestor de terminais que terão a função de administrá-lo e também os três gerentes que supervisarão os primeiros.

A seleção técnica contará com o apoio do Comitê de Busca já utilizado por outras secretarias estaduais e será formado por representantes do Grande Recife Consórcio de Transporte, da Universidade de Pernambuco (UPE) e da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que analisará currículos e fará entrevistas com os interessados ao cargo.

Para o cargo de gerente geral de Terminal serão três vagas para funcionários públicos estaduais com nível superior e experiência em gestão organizacional e transporte público com o salário de R$ 4651,09. Para o cargo de gerente de TI é necessário ser do quadro de funcionários do Grande Recife na função de fiscal de linha ou de frota/assistente de transporte com o vencimento de R$ 1328,00. Também serão nomeados 36 analistas que foram classificados no último concurso realizado pelo Grande Recife Consórcio de Transporte em 2010.
GRCT

Grande Recife participa de fórum sobre mobilidade urbana



Debater as melhorias do transporte público como forma construir uma mobilidade urbana acessível a todos. Esse foi o foco central da participação do Grande Recife Consórcio de Transporte na 8ª edição do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã, promovido pelos Diários Associados em Pernambuco e realizado na manhã dessa terça-feira (25). A coordenadora de Planejamento e engenheira Civil, Ivana Vanderlei, que representou o Consórcio no evento, apresentou os tópicos relacionados às obras de transporte para a Copa do Mundo de 2014, licitação das linhas e construção de novos terminais integrados.

Entre as obras que estão sendo realizadas para a Copa do Mundo de 2014, Ivana citou o Terminal Integrado Cosme e Damião, que fará parte do Sistema Estrutural Integrado (SEI), a ser construído em São Lourenço da Mata; e a implantação de 52 km de corredores exclusivos do Transporte Rápido de Ônibus (TRO ou BRT, na sigla em inglês) nos eixos Norte-Sul, Leste-Oeste e Ramal Cidade da Copa.

No total, um investimento de R$ 476 milhões será utilizado na implantação dos projetos, com recursos do Tesouro Estadual (R$ 129 milhões) e do Governo Federal, através do PAC da Copa (R$ 347 milhões). “A conclusão dessas obras possibilitarão um importante avanço no sistema de transporte público, expandindo a malha do SEI para lugares onde, antes da Copa, ninguém poderia prever”, ressalta Ivana Vanderlei.

Outra importante etapa do Programa Estadual de Mobilidade (PROMOB) pontuada pela coordenadora foi a implantação de corredores de transporte público na Avenida Norte Miguel Arraes e na BR-101 que serão licitados posteriormente. Após a conclusão do conjunto de obras, mais de 100 quilômetros de corredores exclusivos de transporte coletivo estarão em funcionamento.

Dando prioridade ao transporte público, o trânsito nesses corredores ficará mais organizado, garantindo uma maior velocidade aos veículos que transportam mais pessoas.

Em relação à licitação, Ivana fez questão de enfatizar que a conclusão do processo vai garantir o aumento da qualidade do serviço prestado por ônibus na Região Metropolitana do Recife. “Nos corredores de BRT, os veículos poderão ser equipados com ar condicionado. Já as linhas que trafegam nos corredores convencionais terão o serviço melhorado e, em alguns casos, ampliados”, explicou a engenheira.

Também participaram do evento o gerente Regional de Manutenção do Metrorec, Bartolomeu Carvalho, o consultor da Urbana-PE, João Braga, e o superintendente da ATP Engenharia e presidente do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã, Laedson Bezerra.
GRCT

Sport conserta ônibus depredados no último sábado. Custo: R$ 8 mil

O reparo do para-brisa do veículo do elenco profissional custou R$ 2.250

O principal dano ao patrimônio do Sport, durante a confusão do último sábado, já está reparado. Depredados por uma parte dos torcedores após o jogo contra o Goiás, os dois ônibus que transportam os jogadores do clube ganharam novas janelas e para-brisas, num custo de R$ 8 mil. Só o para-brisa do veículo do elenco profissional custou R$ 2.250.

A imagem dos para-brisas dos ônibus foi o símbolo da violência que parte da torcida do Sport realizou depois da derrota do time. Pedras e garrafas de vidros foram lançadas aos seguranças do clube, que recuaram para se protegerem. O material atingiu os funcionários e também os veículos.
Ônibus do Sport (Foto: Lula Moraes/GloboEsporte.com)
Créditos: Lula Moraes/ Globo Esporte PE

Globo Esporte PE

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Governo anuncia inauguração de 4 novos Terminais Integrados até o final do ano

Reforma do TI Barro também entra no pacote de novidades

O Governo de Pernambuco anunciou que pretende inaugurar quatro novos terminais de integração (TIs) até dezembro. Três deles serão integrados à linha sul do metrô (Aeroporto, Tancredo Neves e Cajueiro Seco) e um ficará na zona norte da RMR, o TI Xambá, localizado às margens da Av. Presidente Kennedy em Olinda.

Ao todo, os novos terminais integrados contarão com 58 linhas, beneficiando cerca de 179 mil passageiros serão beneficiados.

Além disso, o Governo do Estado também promove a requalificação do Terminal do Barro, que passará de 10 para 15 linhas. Com isso, espera-se um aumento considerável na sua demanda, que atualmente é de 50 mil passageiros/dia.

Conheça agora mais detalhes dos projetos:

> Tancredo Neves
20 linhas de ônibus
62 mil passageiros/dia
Inauguração prevista para dezembro de 2011

> Aeroporto
6 linhas de ônibus
21 mil passageiros/dia
Integração com o aeroporto por meio de uma passarela
Inauguração prevista para dezembro de 2011

> Cajueiro Seco
11 linhas de ônibus
11 mil passageiros/dia
Inauguração prevista para dezembro de 2011

> Xambá
21 linhas de ônibus
85 mil passageiros/dia
Inauguração prevista para dezembro de 2011

Imagem de satélite com persepctiva do projeto do terminal Xambá.
Créditos: Google e GRCT 
Montagem: Guto de Castro


> Ampliação do TI Barro
15 linhas de ônibus
Inauguração prevista para agosto de 2012

Guto de Castro

Cartões VEM contarão com máquinas de autoatendimento

A Urbana-PE vai instalar 30 máquinas para a venda e recarga do VEM no posto de atendimento e credenciará mais de 600 pontos para a recarga dos cartões.

Créditos: Urbana-PE/Divulgação


Os usuários dos cartões VEM (Vale Eletrônico Metropolitano) Estudante, Trabalhador e Comum contarão, a partir de 2012, com sistema de autoatendimento que facilitará e tornará mais rápida a compra e recarga dos créditos. A Urbana-PE acaba de fechar uma parceria com a Rede Ponto Certo, empresa líder na carga e recarga do Bilhete Único em São Paulo, para a modernização do sistema e promover a descentralização do serviço de recarga.

“A ideia é possibilitar a recarrega dos cartões com dinheiro de forma moderna, ágil e segura, reduzindo-se assim o tempo de permanência na agência e as possíveis filas em períodos de pico”, explica o superintendente da Bilhetagem Eletrônica, Pedro Luiz Ferreira. Para isso, serão instaladas nos postos de atendimento do VEM, 30 máquinas de autoatendimento que funcionarão em horário estendido, trazendo mais conveniência para o usuário.

Além da solução de autoatendimento, mais de 600 pontos comerciais – lanchonetes, padarias, papelarias, entre outros – serão credenciados para a carga e recarga dos cartões VEM Comum e Estudante (a do VEM Trabalhador continua no posto e Internet). Com isto, a capilaridade aumentará sensivelmente o que facilitará ainda mais o uso dos créditos eletrônicos de transporte para a população da Região Metropolitana de Recife. A opção de recargas pela Internet também continuam.

Para o presidente da Rede Ponto Certo, Alexandre Martins, a operação no Recife representa um importante passo para a empresa que já atua no transporte público em São Paulo há mais de seis anos e começa agora a sua expansão para o território nacional. “Recife é um importante polo econômico do Nordeste e estamos muito satisfeitos em poder contribuir para a modernização do sistema de transporte da cidade”, completa Martins.

Urbana-PE

2012, o ano da Copa para a mobilidade

O ano de 2012 será decisivo para Pernambuco sair bem na fita para a Copa do Mundo de 2014. Importantes equipamentos para a melhoria da mobilidade urbana precisam ficar prontos até o final do próximo ano.

Créditos: Blog Tânia Passos/Acervo


É o caso dos terminais de integração. A meta é que os 23 terminais integrados com ônibus e metrô estejam funcionando em boas condições ao final de 2012.

Com o sistema integrado, a estimativa é duplicar o número de passageiros transportados pelo metrô, hoje com uma média diária de 245 mil pessoas.

O governador Eduardo Campos elencou um pacote de obras estruturais, entre elas a construção do Terminal Integrado Cosme e Damião, uma espécie de porta de entrada para a cidade da Copa e que teve a ordem de serviço assinada ontem.

O terminal está orçado em R$ 18 milhões e só será entregue em 2013. Ele também anunciou a construção da passarela que ligará o Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre à estação do metrô, em frente ao aeroporto, mas do ponto de vista de acessibilidade essa integração hoje não funciona.

“O Recife será a primeira capital brasileira que terá uma integração do avião para o metrô ou ônibus direto para a cidade da Copa”, afirmou o governador. A passarela está orçada em R$ 28 milhões.

Dos 23 terminais, dez são novos. No pacote de obras também foi anunciado a licitação dos editais para a reforma dos terminais do Recife, Igarassu e Camaragibe e a contratação de um “kit” para padronizar os 13 terminais que já existem e precisam ser melhorados.

“Nós queremos os terminais com o mesmo padrão de atendimento e isso significa ter banheiros em boas condições de uso, água gelada para os usuários, cadeira para o idoso e uma central de atendimento”, explicou.

Em relação ao cronograma das obras, o secretário das Cidades, Danilo Cabral, ressaltou que o estado está se antecipando aos prazos. “Até o fim de dezembro o processo licitatório das obras dos corredores Norte/Sul e Leste/Oeste estará concluído.

O ramal da cidade da Copa já teve as obras iniciadas e agora o do Terminal Cosme e Damião, que é o último dos quatro compromissos assumidos pelo estado com a Fifa”.

Blog Tânia Passos/DP

sábado, 22 de outubro de 2011

10 Anos Sem Trólebus - Parte II


No post anterior da nossa série de aniversário "10 Anos Sem Trólebus", vimos como os trólebus chegaram ao Recife e os primeiros anos de operação do sistema. Agora seguiremos adiante, contando tudo o que aconteceu durante os anos 70 e 80.

Anos 70

Durante os anos 70, vários fatores, como a dificuldade de manutenção dos ônibus estrangeiros, mantém boa parte da frota de trólebus parada. Apenas 7 linhas estavam circulando, totalizando 57km de rede elétrica. Entre elas, podemos destacar destinos como Mustardinha, Torre, Nova Descoberta, Vasco da Gama, Engenho do Meio, Beberibe e Peixinhos.


Trólebus operando na linha de Mustardinha. Créditos: Trólebus Brasileiros/Acervo

Anos 80

Em 1980, a CTU promove uma grande reformulação nos trólebus: toda a rede elétrica é remontada, e o sistema passa a contar com apenas duas linhas: 641 - Av. Norte/Macaxeira, e 434 - Caxangá/Várzea. Esta última operava em um corredor exclusivo para circulação dos elétricos.


Trólebus operando na Av. Norte/Macaxeira, que posteriormente receberia o código 641. Créditos: Tramz/Acervo

Ainda nessa época, 47 ônibus Marmon Herrington são reformados, recebendo motorização Scania. Um ano depois, em 1981, 12 novos trólebus são adquiridos, produzidos pela Ciferal/Scania/Tectronic.

Com essa estrutura, os trólebus rompem todo o período dos anos 80, sendo responsável pelo transporte de milhares de pessoas das zonas norte e oeste do Recife.

No próximo sábado, última postagem da série "10 Anos Sem Trólebus":
- O sistema nos anos 90, privatização e fim.
========================================================================
Venha comemorar com a gente!

Mercedes-Benz renova sua linha de paineis e volantes

A partir de 01/01/2012, a Mercedes-Benz utilizará uma nova linha de paineis e volantes para todos os veículos produzidos, tanto no segmento rodoviário quanto no urbano. Confira agora as novidades:

Créditos: Vinícius Teixeira de Melo/Ônibus Brasil

Créditos: Vinícius Teixeira de Melo/Ônibus Brasil

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Começam obras no terminal que liga o Recife a São Lourenço da Mata

Arena da Copa fica em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana.  Também foi assinada ordem para construção da Passarela do Aeroporto.



 Foram iniciadas nesta sexta-feira (21) as obras do Terminal Integrado Cosme e Damião, que vai ligar o Recife a São Lourenço da Mata. A obra visa facilitar o acesso à Arena da Copa, cujo investimento está orçado em R$ 18 milhões - com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Governo Estadual. O governador Eduardo Campos assinou a ordem de serviço nesta sexta-feira (21), no Recife.

Também foi assinada a ordem de serviço para a construção da passarela do aeroporto, que vai permitir ao passageiro ter acesso ao Terminal e ao metrô, cruzando a Avenida Mascarenhas de Morais. A obra vai custar R$ 28 milhões e os recursos virão do Governo do Estado. De acordo com Eduardo Campos, um dos principais benefícios do empreendimento é a segurança do usuário.

“A passarela vai nos dar a condição de sermos o único estado em que você sai do Aeroporto, pega a passarela e vai direto pegar metrô, táxi. Uma obra que qualifica a mobilidade, alimenta as linhas de metrô, ou seja, tira carros das ruas. Já o Terminal Cosme de Damião, um dos nossos quatro compromissos para a Copa, vai se somar aos outros 22 terminais, aumentando para 100 km de corredor de ônibus”, afirmou o governador.

Para o prefeito João da Costa, o Terminal Integrado Cosme e Damião vai trazer muitas melhorias para o trânsito da capital. “É possível a gente ter, em dois, três anos, a diminuição de 25% no número de ônibus circulando no centro do Recife. Hoje, só na Avenida Conde da Boa Vista, há cerca de mil linhas. Se a gente tira 25%, são menos 300 ônibus pelas principais vias da cidade”, pontuou.

G1 PE

Uso do transporte público caiu 30% na última década, diz o Ipea

Créditos: Samuel Júnior/Acervo


A falta de políticas públicas para transporte de massas e mobilidade urbana, aliada a passagens cada vez mais caras, provocaram uma queda de cerca de 30% na utilização do transporte público no Brasil nos últimos dez anos. A constatação é do estudo “A Mobilidade Urbana no Brasil”, pelo Instituto de Política Econômica Aplicada (Ipea), no Rio de Janeiro.

O estudo mostra que o governo não apenas investiu muito pouco em mobilidade urbana nas últimas décadas, como também incentivou a utilização do transporte individual. Um dado da pesquisa mostra que 90% dos subsídios federais para transporte de passageiros são destinados à aquisição e operação de veículos individuais (carros e motocicletas). Como consequência, o uso de automóveis nas grandes cidades cresce 9% ao ano, enquanto o de motocicletas dá saltos de 19%.

Somente em 2008, foram vendidos 2,2 milhões de carros e 1,9 milhão de motos e a previsão é que, em 2015, esses números dobrem. De acordo com o coordenador da pesquisa, Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho, em alguns lugares, dependendo do trajeto que se faça, sai mais barato usar moto ou até mesmo o carro do que o ônibus, metrô ou trem.

“Obviamente, esse panorama tem causado sérios problemas para as cidades, como congestionamentos, acidentes e poluição, principalmente. A renda da população está aumentando e, se não houver políticas no sentido de melhorar e incrementar o transporte público, essa situação vai se deteriorar ao ponto em que teremos cidades inviáveis”.

O documento aponta ainda que, nos últimos 15 anos, as tarifas de ônibus aumentaram cerca de 60% acima da inflação. A política de combustíveis também contribuiu para o encarecimento do transporte público pois, segundo o estudo, os ônibus movidos a diesel estão em 85% dos municípios do país e são o principal meio de transporte de massas nas grandes cidades. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o preço do óleo diesel subiu 50% a mais que o da gasolina nos últimos 10 anos.

“Cerca de 8% do diesel consumido no Brasil vai para o transporte público. Acho que é possível subsidiar a compra de diesel para esse setor e, assim, baratear as passagens”, sugeriu o pesquisador.
A coordenadora do livro Infraestrutura Social e Urbana no Brasil, Maria da Piedade Morais, ressaltou que a solução do problema da mobilidade urbana não está apenas em investimentos no setor de transporte coletivo, mas num planejamento integrado da expansão das cidades.

“As cidades estão crescendo, mas os locais de trabalho continuam nos centros. Programas [governamentais] como o Minha Casa Minha Vida têm se mostrado alheios a essa realidade, pois investem em moradias em locais distantes, muitas vezes sem equipamentos urbanos, em vez de recuperar áreas já servidas, como os próprios centros comerciais”.

Blog Tânia Passos e Agência Brasil

Estudo indica que transporte público eficaz reduz emissão de gases poluentes

Créditos: Annaclarice Almeida/DP


Brasília – Investimentos e políticas públicas que melhorem o transporte público podem ser a saída para manter os níveis de emissão de poluentes sob controle e reduzir a liberação de gases de efeito estufa da frota brasileira. A avaliação está em um comunicado do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O estudo destaca avanços na redução gradativa do nível de emissão de poluentes da frota nacional, por meio do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), mas avalia que os ganhos estão sob risco se não forem estabelecidas medidas que estimulem o uso de transporte coletivo e aumentem a eficiência individual dos veículos.

“Os veículos automotores produzidos atualmente poluem menos de 10% do que poluía um veículo similar da década de 1980 quando se trata de poluentes regulados pelo Proconve”, compara o estudo, em referência às emissões de poluentes como monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio, hidrocarbonetos e material particulado.

No entanto, a tendência de redução de emissão de poluentes deverá sofrer uma inflexão nos próximos anos porque as tecnologias utilizadas para esse fim já atingiram um nível alto de eficiência e pelo inevitável aumento da frota e dos congestionamentos. “Daqui para a frente os ganhos serão menores”, segundo o Ipea.

O pesquisador do instituto, Carlos Henrique Carvalho, disse que o país precisa investir mais no transporte públic e incentivar o uso de veículos não motorizados como as bicicletas.

“Daqui para frente ou mudamos a tecnologia, incorporando tecnologias como o carro elétrico ou os híbridos, ou aumentamos a eficiência do sistema de mobilidade, investindo em transporte público. Além disso, também deveríamos estimular o uso de veículos não motorizados, principalmente criando estruturas como ciclovias para as bicicletas, e também estruturas para pedestres”, explicou.

Outro desafio, de acordo com o estudo, está ligado à mitigação das emissões de gases de efeito estufa pelos veículos, que crescem numa relação direta com o aumento da frota e não são reguladas por nenhum instrumento como o Proconve.

Em defesa do sistema público de transporte, o relatório aponta a vantagem dos meios coletivos em relação aos automóveis individuais e em relação às emissões de gases de efeito estufa. Mesmo que os ônibus emitam mais gases desse tipo que os automóveis, por utilizarem diesel, a quantidade de emissões é compensada pelo número de passageiros transportados. “Um usuário de automóvel, por exemplo, emite quase oito vezes mais CO2 (dióxido de carbono) que um usuário de ônibus e 36 vezes mais que um usuário de metrô”, compara o estudo.

No comunicado, o Ipea defende a aplicação de um conjunto de iniciativas que combinem ações fiscais de incentivo e restrição, medidas regulatórias e de investimento, com foco na melhoria do sistema público de transporte.

“O transporte coletivo urbano deve ser prioridade nos vários níveis de políticas públicas, de forma concomitante à restrição crescente à circulação de veículos automotores individuais e à ênfase em soluções urbanas que favoreçam a redução da necessidade de transporte motorizado e a prioridade de transporte não motorizado”, sugere.

Blog Tânia Passos e Agência Brasil

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Grande Recife coloca 89 extras para as provas do ENEM


No próximo final de semana (22 e 23/10), milhares de estudantes realizarão as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Para auxiliar os candidatos a chegarem aos locais de prova, o Grande Recife Consórcio de Transporte reforçará 37 linhas de ônibus. Além disso, 15 coletivos extras estarão nos terminais integrados da Macaxeira, PE-15, Pelópidas Silveira e de Igarassu à disposição dos usuários. Ao todo, 89 veículos extras realizarão 571 viagens a mais que nos finais de semana comuns. Durante os dois dias, 596 veículos circularão nas 37 linhas reforçadas especialmente para as provas do ENEM, realizando um total de 5.638 viagens.

No sábado (22), as linhas reforçadas operarão com 305 ônibus, que realizarão 2.898 viagens, um aumento de 18 ônibus e 134 atendimentos. Além disto, a linha 424-CDU/Torrões (Via San Martin) será ativada, pois geralmente não opera nos sábados.

Já no domingo (23), 291 veículos circularão nas linhas reforçadas, somando 2.740 viagens. Com isso, serão 71 ônibus extras e 437 atendimentos a mais que um domingo comum. Para completar o reforço, as linhas 116-Circular (Príncipe), 330-Casa Amarela/CDU, 424-CDU/Torrões (Via San Martín), 431-Cidade Universitária e 469-Camaragibe/CDU serão ativadas, já que, geralmente, não operam aos domingos.


Outras cinco linhas participantes da operação terão seus itinerários modificados ou reativados para atender ao interior do Campus Recife da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). As linhas 060-Shopping/CDU, 303-Curado II/Caxangá (BR-232), 431-Cidade Universitária e 920-Rio Doce atenderão ao local, tanto no sábado quanto no domingo.

Estocagem – o sistema de estocagem funciona como uma reserva especial de coletivos em um determinado local, geralmente um terminal de integração, preparado para atuar nas linhas que apresentarem maior demanda de passageiros. Para o ENEM, 15 ônibus participarão do sistema de estocagem. No sábado, oito ônibus estarão estocados, sendo quatro no Terminal Integrado da PE-15, dois no TI da Macaxeira, um em Igarassu e outro em Pelópidas. Já no domingo, seis veículos serão reservados à espera dos usuários, sendo três na no Terminal Integrado da Macaxeira, um no TI da PE-15, outro no TI de Igarassu e mais um no Pelópidas Silveira.

Os candidatos podem obter mais informações sobre os itinerários das linhas que levam até os locais de prova entrando em contato com a Central de Atendimento ao Cliente do Grande Recife através do telefone 0800 081 0158, ou acessando www.granderecife.pe.gov.br.

Linhas que farão parte do esquema especial:

032-SETÚBAL (CONDE DA BOA VISTA)
060-SHOPPING/CDU
061-PIEDADE
062-JARDIM PIEDADE
100-CIRCULAR (CONDE DA BOA VISTA)
115-AFOGADOS/AEROPORTO
116-CIRCULAR (PRÍNCIPE)
202-BARRO/MACAXEIRA (VÁRZEA)
207-BARRO/MACAXEIRA (BR-101)
243-VILA DOIS CARNEIROS
302-CURADO II/CAXANGÁ
303-CURADO II/CAXANGÁ (BR-232)
330-CASA AMARELA/CDU
331-TOTÓ PLANALTO
424-CDU/TORRÕES (VIA SAN MARTIN)
431-CIDADE UNIVERSITÁRIA
432-CDU (VÁRZEA)
450-CAMARAGIBE (CONDE DA BOA VISTA)
460-CAMARAGIBE (PRÍNCIPE)
469-CAMARAGIBE/CDU
490-CAMARAGIBE/MACAXEIRA
520-MACAXEIRA/PARNAMIRIM
522-DOIS IRMÃOS (RUI BARBOSA )
524-SITIO DOS PINTOS (DOIS IRMÃOS)
645-AV. NORTE (MACAXEIRA)
905-IGARASSU/PAULISTA
914-PE-15/AFOGADOS
920-RIO DOCE/CDU
944-LOT. CONCEIÇÃO/PAULISTA
946-IGARASSU (BR-101)
960-MARIA FARINHA/CASA CAIADA
964-IGARASSU/MACAXEIRA
968-ILHA DE ITAMARACÁ/IGARASSU
977-PAULISTA (CONDE DA BOA VISTA)
990-PAU AMARELO/VARADOURO
992-PAU AMARELO
GRCT

Inserir créditos no VEM vai ficar mais fácil

TRANSPORTE Plano de descentralização será apresentado hoje. Meta é implantar terminais de atendimento em 600 pontos da RMR

Um benefício para o usuário. É assim que pode ser classificada a iniciativa do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) em descentralizar a recarga do VEM (Vale Eletrônico Metropolitano). A partir de agora, os usuários dos cartões VEM Estudantil, Trabalhador e Comum poderão recarregar os bilhetes eletrônicos em máquinas de atendimento, que serão instaladas em estabelecimentos comerciais. Os detalhes sobre como será feito o abastecimento dos créditos serão fornecidos, hoje, durante entrevista coletiva.


Crédtos: Divulgação

Atualmente, existem duas maneiras para inserir créditos: ir a um dos três postos de atendimento ou pela internet, através do site www.vemgranderecife.com.br. O carregamento embarcado, como é chamada a recarga virtual, funciona da seguinte maneira: o usuário entra no site, preenche um formulário, imprime a página e paga na rede bancária. Os créditos são transferidos em até 24 horas para o cartão do estudante. A transferência é feita quando o aluno aproxima o VEM dos validadores instalados nos coletivos.

Entretanto, a forma virtual para facilitar o atendimento ainda não vingou entre os estudantes. A maioria não compra créditos pela internet. Números da Urbana-PE confirmam a escolha: dos 554 mil estudantes que inserem créditos mensalmente, apenas 33,2 mil estão fazendo a movimentação online, o que representa pouco mais de 6% do total.

O estudante Yago Lourenço, de 17 anos, por exemplo, mora em São Lourenço da Mata e estuda no Centro do Recife, mas afirma que, mesmo enfrentando o problema da distância, prefere a recarga pessoal. “Já ouvi falar que posso abastecer pela internet e tenho computador em casa, mas acho melhor comprar no posto”, acrescentou Yago.

Já em relação ao VEM Trabalhador (o antigo vale-transporte), 98% das compras dos créditos dos 720 mil cartões são feitas pela internet.

Nas ruas, a população recebe a novidade com otimismo. A recepcionista Tânia Ovídio, 37, está esperançosa com a promessa de descentralização. “Se esse autoatendimento for ágil, tipo caixa eletrônico, vai ser ótimo, pois vai facilitar muito a vida dos passageiros”, afirma.

Urbana-PE, com informações do Jornal do Commercio – Caderno Cidades

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Usem o transporte coletivo, diz Dilma

Créditos: Divulgação

Ao anunciar na manhã desta segunda-feira 17, no programa Café com a Presidenta, o investimento de 30 bilhões de reais em obras de mobilidade urbana, a presidenta Dilma Rousseff falou das condições de transporte coletivo no país e sobre a oportunidade que cada vez mais brasileiros têm de comprar seu próprio carro. “É sinal que a renda da população está melhorando e o país continua crescendo.”

No entanto, a presidenta fez uma ressalva quanto ao uso excessivo dos transportes individuais. “Precisamos acabar com a ideia de que o transporte individual é para os ricos, e o transporte coletivo é para os pobres.” Ela também garantiu que haverá qualidade para todos que pretendam utilizar o transporte público, independentemente de sua renda. “É assim nas grandes cidades dos países desenvolvidos. Queremos que seja assim também no Brasil: transporte público de qualidade e, ao mesmo tempo, direito de ter acesso ao seu próprio carro”, afirmou.

A presidenta falou ainda que comprar seu próprio carro significa também “ter um transporte para os dias de lazer, para que você possa passear com a sua família. Mas a solução do transporte nas grandes cidades está no investimento no transporte público de qualidade. Sem isso, as cidades se transformam em um caos”.

O valor do investimento em obras de mobilidade urbana para melhorar o transporte coletivo por todo o país vai incluir a construção de metrôs, corredores exclusivos para ônibus e veículos leves sobre trilhos (VLT).

Busão de Natal, com informações da Agência Brasil

Janela solta faz jovem cair de ônibus em movimento

Créditos: Guto de Castro/Acervo

Um jovem de 15 anos que estava com um amigo em um ônibus da linha Barros Prazeres, da empresa Vera Cruz, teria se encostado em uma janela solta do coletivo e caido do veículo na avenida Maria Irene, Jardim Jordão, por volta das 19h de ontem. De acordo com um amigo da vítima, também de 15 anos, o ônibus estava vazia e os dois estavam sentados na parte dianteira do coletivo. "Nós estávamos voltando para casa quando fomos olhar pela janela e como o meu amigo estava na cadeira que fica em cima do pneu e por isso, é mais alta, ao se encostar, ele caiu no asfalto".

Ainda de acordo com a testemunha, o motorista não percebeu que o jovem havia caido do ônibus e só parou depois que pessoas dentro do coletivo gritaram. "O motorista acelerou assim que eu desci para acudir o meu amigo e fugiu", completa a testemunha. Logo em seguida, uma viatura da Polícia Militar e uma ambulância do Samu passaram pelo local e prestaram os primeiros atendimentos ao garoto, que foi encaminhado para o Hospital da Restauração.

A empresa Vera Cruz negou que o rapaz tenha caido do ônibus porque a janela estava solta. De acordo com a empresa, grupos de jovens estavam praticando vandalismo dentro de vários ônibus da empresa e como resultado, cinco janelas de diferentes coletivos foram derrubadas. O jovem segue internado no Hospítal da Restauração para realização de exames. A família da vítima registrou um Boletim de Ocorrência no Posto Policial do Hospital da Restauração.

Pernambuco.com, com informações da TV Clube.

Comissão de mobilidade urbana visita metrô e cohece o VLT

Créditos: Blog do Jamildo/Acervo


A Comissão de Mobilidade Urbana da Assembléia Legislativa de Pernambuco (Alepe) visita esta manhã a estação Cajueiro Seco do Metrô, em Jaboatão dos Guararapes. Os parlamentares vão conhecer o novo trem VLT, veículo leve sobre trilhos, apresentado como alternativa para solução dos problemas da mobilidade urbana da Região Metropolitana do Recife (RMR).

Com capacidade para transportar 150 mil pessoas, o sistema de transporte está em fase de testes. No próximo ano, ele será implantado na Linha Sul do metrô, ligando Cajueiro Seco, em Jaboatão, ao Cabo de Santo Agostinho, e vai operar com sete trens. A partir de março, o percurso de 18 quilômetros, hoje feito em 47 minutos pelo trem a diesel, passará a ser apenas de 22 minutos com o VLT, que é movido a biodiesel, tem ar-condicionado e é monitorado por GPS.

De acordo com a comissão, a CBTU já iniciou as obras de recuperação dos trilhos, de duas pontes e a duplicação do trecho entre as estações Pontezinha e Santo Inácio, no Cabo. Estão previstas ainda a construção de duas pontes com passagens destinadas à travessia de pedestre sobre os rios Pirapama e Jaboatão.

Pernambuco.com

sábado, 15 de outubro de 2011

10 Anos Sem Trólebus - Parte I


Em comemoração aos 2 anos do Maxi Ônibus Olinda, a partir de hoje e nos próximos sábados, você leitor poderá acompanhar uma série especial, que vai contar a história dos trólebus no Recife. Trata-se também de uma homenagem aos 10 anos da desativação do sistema.

Vários sites de transportes já dedicam espaços para contar a história dos elétricos na cidade, mas aqui será diferente. Traremos imagens ainda pouco divulgadas na internet e dezenas de informações históricas. Cada postagem trará uma surpresa para quem acompanhar a nossa série.

Que comecemos então a história! Espero que gostem e que esse post lote de comentários!

Antecedentes

Recife já possuia um histórico de transporte público por veículos movidos a energia elétrica. Basta lembrar dos bondes, operados pela saudosa Pernambuco Tramways & Power Company, que por sua vez eram uma evolução dos bondes a vapor e de tração animal.

Inauguração do sistema

Em 1959, começa a se desenvolver o projeto de implantação de um sistema de trólebus no Recife. Começa então o processo de instalação da rede elétrica, comprada da americana Westinghouse. Também é realizado o pedido de 65 ônibus, importados da Marmon-Herrington, também dos Estados Unidos. No ano seguinte, 1960, os elétricos já estão em condições de operar, com a inauguração acontecendo no dia 15 de junho.

A concessão de operação dos trólebus foi dada à estatal CTU (Companhia de Transportes Urbanos), e os carros receberam os prefixos 001 a 065.

Desembarque dos trólebus no Porto do Recife. Créditos: Trólebus Brasileiros/Acervo

As primeiras linhas operadas pelos trólebus foram a dos bairros da Torre, Casa Amarela e Campo Grande. O sistema do Recife foi o sétimo a entrar em operação no país.

Anos 60

Em 1966, a CTU adquire mais 20 trólebus, desta vez de fabricação brasileira, da Aços Villares de São Paulo. Eles foram numerados entre 066 e 085.


Villares adquiridos pela CTU em 1966. Créditos: Allen Morrisson/Acervo

Em 1969 o sistema de trólebus de Belo Horizonte encerra suas atividades e no ano seguinte, 1970, os 55 veículos que faziam parte da frota são transferidos para Recife, sendo 50 Marmom-Herrington (iguais aos que já operavam aqui) e 5 Massari/Villares. Foram prefixados entre 086 e 140.


Massari/Villares 139 em 1980. Créditos: Allen Morrinson/Acervo

Nos anos seguintes, o sistema atinge o seu auge, com 100 km de rede elétrica distribuídos em 20 linhas.

No próximo sábado:
- A reformulação do sistema e seu histórico nos anos 80.
========================================================================
Venha comemorar com a gente!





Mobilidade urbana é maior desafio em Pernambuco

Créditos: DG-1 Trânsito/Acervo
 
A Região Metropolitana do Recife (RMR) possui hoje uma frota de 988.202 veículos, que vem crescendo a cada mês. Somente até julho de 2011, 53,3 mil novos veículos passaram a circular na região. Esse crescimento tem causado grandes problemas no deslocamento pelas ruas da capital pernambucana.
 
Para quem utiliza o transporte público, no entanto, as dificuldades são ainda maiores. Segundo informações do Grande Recife Consórcio de Transportes, órgão que coordena a mobilidade urbana, 488,7 mil passageiros utilizaram ônibus e metrô como meio de transporte na RMR em 2010.
 
Terminais de passageiros e ônibus superlotados nos horários de pico causam a insatisfação dos usuários. O auxiliar de marketing Manoel Neto demora cerca de duas horas para se deslocar da sua casa em Maranguape II, no município de Paulista, até o seu local de trabalho, no centro de Recife. O percurso tem em média 22 km. “Todos os dias eu enfrento uma fila quilométrica no terminal de integração e só depois do terceiro ou quarto ônibus é que consigo um lugar para fazer a viagem sentado”, reclama.
 
A rede de transporte público do Recife, o SEI (Sistema Estrutural Integrado), é composta por 13 terminais integrados e, de acordo com o governo do estado, tem capacidade para 800 mil passageiros. Até 2012, oito novos terminais devem ser construídos e, em 2013, será inaugurado o Terminal Cosme e Damião. Com isto, a capacidade de passageiros deve chegar a 1,6 milhão.
 
Neste mês, o governo do estado lançou os editais de licitação das obras do Programa Estadual de Mobilidade (Promob), que inclui a construção de três corredores exclusivos de ônibus: Norte-Sul, Leste-Oeste e o Ramal da Cidade da Copa. A primeira etapa do Corredor Norte-Sul terá 32,2 km e vai ligar o município de Igarassu até o centro do Recife, com capacidade para atender 146 mil passageiros/dia.
 
O Leste-Oeste vai ligar o bairro do Derby, no Recife, até o município de Camaragibe, na zona oeste da cidade. Serão 12,5 km de extensão, com uma demanda de 126 mil passageiros/dia.
 
O Ramal Cidade da Copa sai da av. Belmiro Correia em Camaragibe e vai até a região onde ficará a Arena Pernambuco, sede da Copa de 2014, no município de São Lourenço da Mata. Terá 6,3 km de extensão, com atendimento de 20 mil passageiros/dia. Os corredores vão operar com o sistema BRT (Bus Rapid Transit) e, juntos, vão somar 100 km de vias exclusivas para ônibus.
 
Também será licitada a construção do Terminal Integrado Cosme e Damião, em São Lourenço da Mata, no caminho para a Cidade da Copa. Todos esses projetos estão previstos na Matriz de Responsabilidades da Copa e, de acordo com os prazos previstos no documento, as obras já deveriam ter começado.

Para o engenheiro Ilo Leite, vice-presidente do Sindicato da Arquitetura e da Engenharia de Pernambuco (Sinaenco-PE), o governo do estado deveria imprimir urgência máxima nestas obras para que o prazo de 2014 possa ser cumprido em benefício da população local. Em sua visão, o sistema BRT não poderia ser aplicado em qualquer local da cidade, mas avalia que os projetos atuais são viáveis. “Estes corredores são passíveis de serem implantados, já que a demanda destes trechos não é elevada”, avalia.

A construção da Via Mangue, que também está prevista na Matriz de Responsabilidades, deve desafogar o trânsito na zona sul da cidade. A obra, de responsabilidade da prefeitura, teve início em junho deste ano e terá faixas de rolamentos para veículos, calçadas e ciclovias. Serão construídos dois elevados, oito pontes, duas alças de ligação e será feito o alargamento da ponte Paulo Guerra e do viaduto Capitão Temudo. A via terá uma extensão de 4,75 km no sentido Centro/Boa Viagem e 4,37 km no sentido Boa Viagem/Centro.

Veículo Leve sobre Trilhos - O sistema de VLT também será implantado para a melhoria do sistema de transporte público na RMR. Serão adquiridos sete equipamentos VLT, cada um com três carros de passageiros, que irão substituir o atual trem díesel em um trecho de 18km entre as estações de Cajueiro Seco e Cabo.
 
A demanda prevista para este VLT é de 30 mil usuários por dia. Os testes de operação já foram iniciados e a previsão do governo do estado é de que o sistema comece a operar ainda este ano.

Ciclovias e rios - Para fugir da má qualidade do transporte público, algumas –ainda raras– pessoas optam pela bicicleta. Mesmo possuindo um carro, o porteiro Iranildo Paris percorre 12 km de bicicleta para se deslocar de casa até o trabalho. “Usando a bicicleta, além de evitar o trânsito eu ainda economizo gasolina. Se eu for de carro levo cerca de 20 minutos para chegar ao trabalho; de bicicleta eu levo no máximo 10 minutos.“
 
Esta tem sido a opção escolhida por muitos recifenses, mas seus adeptos sentem falta de mais pistas para a circulação de bicicletas. “O problema é que os motoristas não respeitam os ciclistas e nós não temos uma ciclovia”, reclama Iranildo. Atualmente, o Recife possui 13,2 km de ciclovias distribuídas no centro, Orla e Tiradentes, na zona oeste.

Agora, até os rios que cortam o Recife já estão sendo considerados uma alternativa para a melhoria da mobilidade. A Secretaria das Cidades de Pernambuco abriu licitação pública para a realização de um estudo técnico de navegabilidade no rio Capibaribe.

O estudo vai avaliar a viabilidade econômica, ambiental e social da implantação de uma hidrovia. A proposta lembra o “Vaporetto”, sistema de tranporte urbano utilizado há décadas pela cidade de Veneza, na Itália, sempre lotado de turistas e moradores.
 
Portal 2014

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Grande Recife reforça linhas bacurau para Virada Multicultural do Recife



A Virada Multicultural, que acontece entre a sexta-feira (14) e o domingo (16/10), promete agitar 30 pólos culturais do Recife com atrações para todos os gostos. Quem quiser conferir os shows que acontecerão nas noites de sexta e sábado contará com programação especial de ônibus montada pelo Grande Recife Consórcio de Transporte especialmente para a volta para casa. O esquema montado contará com 29 linhas de bacurau, que terão reforço de 126 viagens.

O objetivo do reforço é auxiliar a volta dos usuários para casa nas madrugadas da sexta para o sábado e do sábado para o domingo. Com a programação, o Grande Recife estima que os intervalos das linhas de bacurau sejam reduzidos pela metade, operando com viagens, em média, a cada 30 minutos.

Para informações complementares sobre a operação das linhas, os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente, pelo telefone 0800 081 0158, ou acessar o site www.granderecife.pe.gov.br.

Linhas com reforço de viagens:
033-Aeroporto (Bacurau)
063-Jardim Piedade (Bacurau)
073-Candeias (Bacurau)
131-UR 02 (Bacurau)
145-Alto Dois Carneiros (Bacurau)
146-UR 11 (Bacurau)
154-Jordão (Bacurau)
172-Conjunto Marcos Freire (Bacurau)
184-Cabo (Bacurau)
233-Cavaleiro (Bacurau)
254-Jaboatão (Bacurau)
322-Jardim São Paulo (Bacurau)
333-Totó (Bacurau)
352-Curado II (Bacurau)
362-Curado IV (Bacurau)
427-CDU/Várzea (Bacurau)
435-Monsenhor Fabrício (Bacurau)
457-São Lourenço (Bacurau)
523-Dois Irmãos (Bacurau)
715-Alto Santa Terezinha (Bacurau)
744-Dois Unidos (Bacurau)
745-Alto José Bonifácio (Bacurau)
846-Águas Compridas (Bacurau)
927-Ouro Preto (Bacurau)
928-Maranguape II (Bacurau)
975-Amparo (Bacurau)
985-Rio Doce (Bacurau)
995-Pau Amarelo (Bacurau)
GRCT
 

Arquivo do blog